(51) 3061 1315 (51) 3061 2550 atendimento@teraware.com.br
Entenda o que é fluxo de caixa e como geri-lo com eficiência - Teraware Soluções em Software e Internet

Entenda o que é fluxo de caixa e como geri-lo com eficiência - Teraware Soluções em Software e Internet

Você por acaso sabe o que é fluxo de caixa e a importância que essa ferramenta pode ter para a gestão de uma empresa? Já até procurou saber sobre o assunto, mas ficou com algumas dúvidas quanto a sua elaboração, periodicidade, principais erros a serem evitados, bem como funcionalidades que essa ferramenta oferece? Então reserve alguns minutinhos na sua agenda para conhecer os principais aspectos e as vantagens de organizar seu fluxo de caixa, entendendo como a elaboração de uma ferramenta simples, mas muito eficaz, poderá trazer melhores resultados para sua empresa. Pronto para nossa aula de gestão? Então acompanhe:

AFINAL, O QUE É FLUXO DE CAIXA?

Por mais que essa seja uma ferramenta extremamente simples, acaba gerando muitas dúvidas por aí. Então comece a entendê-la já: o fluxo de caixa é responsável por apresentar toda a movimentação financeira de entradas e saídas da empresa. E para saber direitinho no que exatamente consiste essa movimentação é simples, sendo preciso para isso se lembrar de que o fluxo de caixa não se limita ao caixa propriamente dito, mas também à movimentação bancária do negócio. Assim, os valores movimentados em conta corrente também devem ser devidamente analisados.

O QUE É PRECISO PARA SUA GESTÃO?

A utilização de um software de gestão, além de facilitar a elaboração e o acompanhamento do fluxo de caixa, pode ajudar a dividir seus valores monetários por categorias, permitindo que se veja a movimentação da conta caixa e dos bancos em conjunto — ou, se for o caso, também de forma individualizada.

É desejável também definir de forma bastante clara onde acontecem as entradas e saídas de recursos, ou seja, se determinado cliente paga com depósito em conta ou se certo pagamento sai da conta corrente. Isso sem contar que na organização para a implementação do seu fluxo de caixa também é necessário conhecer e registrar os saldos iniciais de cada conta que irá compor sua movimentação, dados importantíssimos para que, após as movimentações, os valores finais do fluxo de caixa sejam conhecidos.

COMO FAZER SEU FLUXO DE CAIXA?

O fluxo de caixa deve ser elaborado a partir de alguns elementos básicos, que serão os responsáveis por fornecer boa parte das informações necessárias. Em um primeiro momento, leve em consideração os saldos iniciais das contas de movimentação financeira da empresa, ou seja, caixa e contas bancárias.

Na sequência, considere os valores de entrada do fluxo de caixa, sendo os mais comuns relacionados a vendas à vista e tantos outros recebimentos que podem ocorrer no período. Dentro das movimentações, também deverão aparecer as saídas de caixa, que representarão os desembolsos do mesmo período.

Por fim, os saldos podem ser apresentados de diferentes maneiras: somente referente ao dia — ou seja, tudo o que entrou menos o que saiu — ou ainda o saldo de fluxo de caixa que considera a soma do saldo inicial com as entradas menos as saídas totais. A utilização de um ou outro tipo de informação dependerá das necessidades gerenciais da empresa.

COMO ORGANIZÁ-LO ADEQUADAMENTE?

Agora que você já tem uma boa ideia de como um fluxo de caixa deve ser elaborado, aqui vão algumas dicas que irão aprofundar as análises e conclusões que poderão ser tiradas com a utilização dessa ferramenta:

DIVIDA TRANSAÇÕES POR CATEGORIAS

Com o fluxo de caixa devidamente elaborado, comece a dividir tanto suas despesas como suas receitas por categorias, pois dessa forma fica muito mais fácil entender determinados comportamentos dentro da organização. Com as entradas e as saídas devidamente categorizadas, você pode entender, por exemplo, por que algumas despesas aumentaram, como estão se comportando suas receitas em épocas especiais de mais ou menos vendas e que ações podem ser tomadas para a manutenção ou a correção dos rumos da empresa.

FAÇA UMA CONTABILIZAÇÃO DIÁRIA

É preciso desenvolver a cultura de um fluxo de caixa diário, que refletirá como sua empresa está naquele momento. Isso lhe permitirá tomar algumas decisões de curto prazo, como investir dinheiro que está sobrando na conta corrente ou fazer algum pagamento antecipado para ganhar descontos.

CONCENTRE-SE TAMBÉM NAS PROJEÇÕES

Depois da organização, é hora de se concentrar mais no planejamento. Já que você conhece o fluxo de caixa da sua empresa, ou seja, o padrão das entradas e saídas, que tal fazer projeções? Isso mesmo! Comece a planejar o futuro, a orçar valores que devem ser gastos e começar a pensar também nos recebimentos. Depois de feitas essas projeções, o importante é controlar e comparar. Dessa forma será possível compreender o que não saiu de acordo com o orçado e como isso impactou na empresa.

SEJA SEMPRE BASTANTE REALISTA

Uma dica importante é ser bastante realista com suas entradas e saídas. Não seja otimista demais com receitas que podem ser recebidas, para não contar com o que pode nem ser certo e acabar fazendo compromissos indevidos, e nem se esqueça daquelas contas que só aparecem em determinado período do ano, como alguns impostos e taxas, por exemplo.

Assim, com o fluxo de caixa em dia, organizado e feito da forma correta, você poderá tirar diversas conclusões que vão das mais simples, como a sobra ou não de recursos em caixa, passando pela necessidade de negociação de prazos tanto com clientes quanto com fornecedores, bem como em relação à necessidade de empréstimos e financiamentos, até chegar a possibilidades mais robustas, como a expansão da empresa ou uma mudança de ramo de atuação.

QUAIS SÃO OS ERROS MAIS COMUNS?

Apesar da simplicidade na elaboração e na manutenção, alguns erros podem reduzir a eficiência do seu fluxo de caixa. E é aí que entra, por exemplo, a falta de atualização, um dos fatores mais desestabilizadores de um bom fluxo de caixa. Pense bem: a informação sem a devida periodicidade não pode ser usada para a tomada de decisão, certo? Então procure deixar o caixa sempre em dia.

Tome cuidado também com cheques que ainda não podem ser compensados — o famoso cheque pré-datado —, que ainda não podem ser considerados como recursos disponíveis. Além disso, tanto clientes quanto fornecedores que serão pagos ou recebidos de forma parcelada deverão ter suas devidas datas de entrada e saída de recursos observadas.

QUAL A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DESSE FLUXO?

Lembre-se: o fluxo de caixa é uma ferramenta simples, mas que precisa de dedicação e organização. Então busque sempre o auxílio de softwares de gestão que permitem uma melhor visualização da sua movimentação, apresentando diversas oportunidades de análise e, com isso, mais possibilidades na sua gestão. Isso sem contar que com a automatização é possível otimizar os processos e evitar erros de inserção manual de dados que poderiam vir a comprometer toda a análise.

O fluxo de caixa é só uma das ferramentas do seu planejamento financeiro, mas o bom planejamento da empresa depende de sua correta elaboração. Então fique atento! E não deixe de comentar aqui para nos contar o que achou deste artigo! Acha que já consegue colocar em prática essa ferramenta? Pois se quiser aproveitar para ver como melhorar ainda mais a gestão financeira do seu negócio, clique aqui!

Atendimento via WhatsApp